Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ter Menos Ser Mais

Encontre nas coisas simples a liberdade, a felicidade e a intencionalidade da vida

Ter Menos Ser Mais

Encontre nas coisas simples a liberdade, a felicidade e a intencionalidade da vida

Natal - Espírito consumista

Estamos em dezembro e o acontecimento mais marcante deste último mês do ano é, sem dúvida, o Natal. Uma festividade cristã celebrada por grande parte dos portugueses.

 

Contudo, a realidade é que ano após ano o seguinte cenário repete-se: Listas de compras, correria as lojas, centros comercias completamente lotados, filas nas lojas, nos supermercados, no trânsito...

 

Algures por este caminho nos perdemos, aquilo que seria uma celebração cristã passou a ser um negócio que incentiva o consumismo desenfreado, tornando o mês de dezembro um dos mais lucrativos do ano.

 

joanna-kosinska.jpg

 

No outro dia ouvia alguém na rua a dizer “nesta época do ano, em comida e prendas gastamos 3 ordenados!”. Vale mesmo a pena? O que nos leva a gastar desta forma? É a falsa sensação de quanto mais melhor, da abundância e excesso que somos levados a acreditar ser sinónimo de felicidade.

 

E para quem não consegue alcançar estes padrões de felicidade aliados ao consumo? O Natal representa um momento de tristeza ou até mesmo de depressão.

 

Mas o Natal não é um festejo comercial é uma celebração da família. O mais importante é ter família e poder estar com essas pessoas!

 

Todo este gasto, acaba por se traduzir numa felicidade muito volátil. Rapidamente termina o ano, aquele presente que nos deram esta em um qualquer canto da casa, as nossas carteiras estão mais leves e os aumentos, característicos, do novo ano trazem-nos de volta a realidade.

 

Até que ponto vale apena apostar a felicidade numa caixa embrulhada com papel colorido e um laço no topo?